[RESENHA] MAD MAX FURY ROAD



Protagonismo feminino, ação e uma aula de como se faz cinema. 


Cresci vendo os antigos filmes de Mad Max. Minha mãe sempre adorou os filmes então eu me sentava do lado dela no sofá e assistia aquela galera louca num deserto. Alguns anos se passaram e eu repeti a mesma cena, me sentei com ela no sofá e assisti, mas finalmente pude entender do que aqueles filmes se tratavam.

Não, eu não vou começar esse post comparando o mais novo com os antigos. Isso seria bem bobo. Mas devo confessar que mesmo diante de tantas reviews positivas e tanta gente falando que eu ia gostar do filme, que me senti apreensiva demais em assisti-lo. Vai que mesmo sendo incrível para a crítica, pra pessoas que me conhecem bem, eu achasse o filme uma porcaria? A decepção seria em diferentes níveis.

Mas não existiu decepção. Muito pelo contrário. Mad Max é um filme que não via já tinha algum tempo. Um bom filme, uma experiência memorável que o espectador vai ter indo ao cinema. Ação de tirar o fôlego do inicio ao fim, com uma trilha sonora e uma montagem de som impecável. Para completar, ainda retrata liberação feminina. Por favor, Miller, você é um gênio do cinema.

E falando em cinema, sim Mad Max é um blockbuster mas que se sobressai em sua categoria. É um filme de Ação e leva o espectador a ficar sem fôlego com uma cena atrás da outra recheada por lutas, tensão, explosões…  É um filme que dá muito gosto de ver. É um produto,mas que foi tao bem planejado e tao bem executado, que nos dias de hoje surpreende. Consegue ser comercial, sem deixar de ser arte.

Outra coisa que o filme também faz é honrar suas espectadoras. Mulheres fortes, mulheres que lutam e sobrevivem. Mulheres que sim, se juntam a homens em uma batalha, mas que não precisam deles para fazer acontecer. Mulheres que podem iniciar e terminar uma guerra sem precisar da ajuda de um homem. Mulheres verdadeiramente fortes. Tem dado muito o que falar, mas sinceramente foi delicioso ver que tivemos uma protagonista tão badass no filme do gênero. Geralmente, por mais incrível que a personagem seja, ela na maioria das vezes acaba ficando de lado, se envolvendo com o protagonista… enfim. Furiosa foi uma personagem bem escrita e bem aproveitada. Deu gosto de ver. Todo o núcleo feminino é bem pontuado. Não só as personagens. A importância de saber que a mulher é quem dá a luz a uma nova vida, a força do leite materno para o desenvolvimento humano, a delicadeza com relação ao cuidado com a natureza. Incrível, incrível e incrível. A grandeza do feminino bem representado, forte e nada piegas.


Com um bom elenco e um roteiro bem escrito, a direção de George Miller se torna ainda mais espetacular. Ele pode focar no seu trabalho incrível nos dando dimensão e criando vida em cada pequeno pedaço da tela. Tudo tem vida, tudo faz parte da história. Cada veiculo é mostrado e cada pedacinho dele é aproveitado para construir as cenas. A sequências no caminhão não se tornam enfadonhas. Não é a toa que se chama Fury Road, mas você não vai ficar entediado que 70% das cenas se passem dentro de um caminhão ou ao redor dele.

Falando nisso, Mad Max praticamente nos dá uma aula sobre cinema. O diretor pensou nos mais diversos planos, fazendo com que a montagem e a edição engradecessem ainda mais o seu bom trabalho. Que diferença faz um filme ser bem montado! Não são sequências que você sente que foram simplesmente juntadas ou jogadas no filme por falta de opção. Você sente como cada tomada foi planejada. Dá muito gosto de ver.

Como comentei, o roteiro também é bem redondinho. E mesmo que você não tenha visto nenhum dos filmes de Mad Max, vai entender o que se passa. Ele é bem construído. Bem dosado, as cenas de ação e tensão são constantes, mas não são iguais. Nada se repete, tudo se renova.


Os personagens também. Bem construídos, bizarros, asquerosos. Alguns apenas humanos, humanos até demais. Não importa quanto tempo passam em tela, você compreende quem é aquele personagem e qual a sua função. Para quem acompanha o trabalho de Tom Hardy, talvez esta não seja a maior atuação de toda a sua carreira, mas o magnifico trabalho de voz que ele sempre faz está lá, o que dá a você uma excelente razão para não assistir o filme dublado e perder esse trabalho do ator. Charlize Theron, por outro lado, demonstra força e compaixão apenas com um olhar. A atuação dela no filme está impecável. Existe uma cena em particular que ela consegue fazer com que você tenha vontade de gritar junto com ela. Você sente aquela mesma dor. A direção de arte do filme também não pode passar em branco assim como os efeitos especiais.

Além de tudo isso, Mad Max levanta uma discussão bastante interessante. Até onde vai a nossa briga por água? Até onde dependeremos do petróleo? Até quando seremos insensíveis com a natureza? Até quando as mulheres vão ter que lutar por direitos iguais?

Por esses e muitos outros motivos você deve assistir Mad Max. E ter essa experiência incrível também.



Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.