[RESENHA] AVE, CÉSAR



Direção: Irmãos Coen
Elenco: George Clooney, Josh Brolin, Scarlett Johansson, Channing Tatum, Tilda Swinton, Ralph Fiennes, Frances McDormand, Jonah Hill, Christopher Lambert e Alden Ehrenreich
Gênero: Comédia


Uma paródia de alto nível, um elenco de peso e uma incrível homenagem a era de ouro de Hollywood.

Pra quem curte cinema e conhece o excelente trabalho dos Irmãos Coen, não é novidade que a ida ao cinema vai ser bem recompensada. A dupla sabe muito bem o que faz e conduz muito bem a homenagem, a comédia e a crítica a mercado de produções cinematográficas.

Em uma fase em que esteriótipos, personagens extremamente caricatos estão presentes em inúmeras produções de uma forma desastrosa, em Ave, César temos um trabalho muito bem pensado, planejado e executado. Comunistas são companheiros, o mocinho que estourou como protagonista de filmes de faroeste é um bronco e a belíssima estrela só aparenta ser a boa moça que todos esperam.

Vamos acompanhar Edward, o assistente resolve de tudo um pouco dos estúdios Capitol Pictures. Entre uma nova e segura, na verdade vendida como segura e real proposta de emprego – só quem trabalha com arte e comunicação compreende como geralmente essas ofensas aparecem em nossas portas – ele tem que lidar com diversas situações, a maioria delas desagradável. Ele tem que lidar com a imprensa, com o ego dos diretores, com os problemas pessoais de suas estrelas, com o sumiço do ator principal de uma das produções que está sendo rodada e também com seus problemas pessoais. É bem óbvio que ele ama o que faz, mesmo sabendo que o trabalho consome todo o seu dia.

O filme todo mostra como os Irmãos Coen sabem o que fazem e mais que isso: amam. Os espectadores vão compreender como cinema era feito, montagem de cenários, orquestras tocando ao fundo, recursos de iluminação. O filme inteiro passa pelos mais diversos gêneros e se apropria deles sem que se torne cansativo. Drama, musical, noir, faroeste, romance… É realmente um filme para os amantes do cinema, mas que por ser tão bem executado, permite que novos espectadores se apaixonem também.

E, além do humor ácido, o roteiro também apresenta – e critica, de forma bem humorada – a questão dos créditos. O enorme número de adaptações literárias não é algo recente no meio cinematográfico. O filme tem excelente ritmo e não perde sua personalidade nem mesmo no momento que ocorre uma excelente crítica politica envolvida.

Jogo de cores incríveis, planos muito bem apresentados. Um roteiro redondinho e uma montagem magnifica. E não tinha como ser menos que isso, uma vez que eles mostram como as mulheres foram fundamentais assumindo a responsabilidade pela montagem de muitos filmes. E na época existia a problemática de que as mulheres só eram boas para fazer a montagem dos filmes por serem mais delicadas que os homens…

Ave, Cesar estreia hoje nos melhores cinemas do país e se você curte cinema pra valer, não pode perder essa oportunidade maravilhosa que infelizmente só dura 1h40min.

xoxo

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.