[RESENHA] Sempre, A Redenção, J.M Darhower


Ano: 2016

Páginas: 512

Editora: Universo dos Livros

Preço Médio: 22,90


Sinopse: Esta é uma história de lealdade e amor. É uma história sobre alcançar a redenção – mesmo quando tudo parece perdido. 

Carmine DeMarco é forçado a jurar lealdade à Máfia para salvar a garota que ama – Haven Antonelli –, e a privar-se da vida ao lado dela no momento em que é mandado para Chicago a fim de trabalhar para a organização criminosa Cosa Nostra. Contudo, ao ser imerso nesse novo mundo repleto de mortes e crimes terríveis, Carmine compreende que sobreviver a tudo isso, sem ela, é mais do que pode suportar. E Haven, sentindo-se magoada e aturdida ao ser deixada por Carmine, agora precisa trilhar seu caminho sozinha, em uma nova cidade. Seu coração dói com a perda, mas, pela primeira vez, ela tem a chance de fazer as próprias escolhas e concretizar sonhos que acreditava serem inalcançáveis. No entanto, ela ainda é assombrada pelo passado à medida que descobre segredos perversos acerca da família que a escravizou anos antes. Como consequência, a garota percebe não só o seu lugar nessa teia de mentiras, mas também que muita dor e sofrimento ainda podem recair sobre ela e Carmine. Agora, ambos devem enfrentar tais adversidades para alcançarem a redenção. 

Sou suspeita para falar sobre os livros escritos pela J.M., sou apaixonada por Sempre, desde que era conhecida como Emancipation Proclamation. 

Para assistir a resenha do primeiro livro, clique aqui. 

Já sabemos que Carmine vendeu sua vida em troca da liberdade real da Haven. Por mais que ele odeie a máfia e por mais que seu pai tenha tentado de todas as formas que ele não fosse por este caminho, está na hora de começar a pagar suas dívidas. 

Haven, por outro lado, tem real liberdade pela primeira vez em toda sua vida e essa nova etapa não vai ser simples. Por toda a sua vida ela recebeu ordens e teve a quem obedecer. Agora ela estava livre e poderia fazer suas próprias escolhas e ao mesmo tempo que isso era maravilhoso, também era bastante assustador. 

Ambos Haven e Carmine estão com os corações quebrados e quanto mais seguem com o novo rumo de suas vidas, menos paz eles parecem poder ter. Haven descobre muito mais do que jamais imaginou sobre seu passado, sobre sua posição nesse enorme jogo. O Carmine que vemos vai ficando apagado, sem vida. Não é mais o garoto sarcástico que conhecemos. 

Ao passarem por uma longa estrada, eles finalmente se encontram novamente. Isso não quer dizer que poderiam viver tranquilos. Apesar de sua liberdade, Haven sabe que tanto ela quanto Carmine ainda tem um longo caminho pela frente. Aos poucos Carmine vai compreendendo que a lealdade, a honra a sua família, são muito importantes. 

Quando você pensa que o livro finalmente está entrando em um ritmo mais tranquilo, uma nova reviravolta surge e com isso, mais surpresas, mais revelações e cada vez mais conhecemos os tantos e excelentes personagens construídos pela autora. 

A redenção não é necessariamente o ápice deste volume. Observamos como diversos personagens conseguem conquistá-las, mas o grande mérito está em saber viver um dia após o outro e compreender a responsabilidade de nossas escolhas, que temos que perdoar, lutar, respeitar e viver em equilíbrio com a bagagem que temos nas costas. 

Sempre não é uma história comum, é única. É uma obra completa, com personagens ricos, uma história muito bem contada, que fecha de uma forma extraordinária.

Espero que a Universo não demore para publicar MADE, que é o livro da história de Corado! E espero muito que a J.M. um dia possa nos presentear com a história do Dr Vincent, que sem dúvida alguma é o meu personagem favorito de toda essa história. 


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.