Corpo, Audrey Carlan


Ano: 2017

Páginas: 364

Editora: Verus Editora

Preço Média: 34,90

Sinopse: Uma nova vida. Um novo amor. Um perigo real. 
"Eu te amo. Eu te quero. Eu nunca vou te deixar." Gillian Callahan entra em pânico só de ouvir esse tipo de frase. Por anos ela viveu uma relação abusiva com seu ex-namorado violento. Agora ela está livre e segura, trabalhando para uma fundação de apoio a mulheres vítimas de violência - a mesma que a resgatou e salvou sua vida. Gillian não quer saber de homem nenhum. Até conhecer Chase Davis, o presidente da fundação. O bilionário é tão sexy e sedutor que Gillian fica sem chão. Chase sempre consegue o que quer - e ele quer Gillian.
Agora ela terá de enfrentar a batalha entre o desejo e o medo. Gillian vai conseguir confiar em Chase? Ela está segura com ele? E quão perigoso pode ser um passado sombrio... não só o dela, mas o do homem que ela aprendeu a amar?


Vamos começar falando das partes leves e depois passamos para o que mais importa nesse livro.
Senti uma evolução nas cenas hot e na parte do romance, porque em A Garota do Calendário ela peca demais principalmente no romance.

Agora vamos para a parte séria.
Esse livro toca num assunto muito importante que é o abuso domestico, a Gillian foi uma vitima do ex marido e depois foi acolhida pela Safe Haven, que é uma instituição que ajuda mulheres que sofreram esse tipo de agressão e abuso domestico e atualmente ela trabalha para essa instituição que é quando ela conhece o Chase e a tração entre ambos é inegável. Porém por causa dos traumas vivido por ela quando estava com o ex marido e também os traumas vivido por ele quando criança faz com que o começo dessa relação seja um pouco complicada, também tem o fato do Chase ser o chefe da Gillian por ele ser o fundador da Safe Haven e esse fato deixa ela um pouco receosa. O que me deixou mais ansiosa para terminar de ler esse e querer ler os próximos é a questão de um cara muito assustador que começa a perseguir a Gillian mandando presentes e cartas assustadoras que infelizmente realidade Brasil esse tipo de coisa acontece muito e muitas vezes o fim acaba nas mortes das vitimas mulheres.

Achei que a autora faltou aprofundar mais um pouco a questão sobre agressão domestica que é uma coisa que espero muito que ela passe a aprofundar mais nos próximos livros.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário