[RESENHA TRIPLA] Entrevista com Vampiro, Vampiro Lestat e Entrevista com Vampiro a história de Cláudia.



Posso me lembrar perfeitamente do dia em que sai de casa com minha mãe, e ela muito animada, me disse que iríamos alugar a fita de Entrevista com Vampiro.

Que eu venho de uma família de leitores, isso não é novidade, mas lembro bem de como assistir o filme ao seu lado dela me impactou. Apesar de ser muito nova e obviamente não compreender muito do que era retratado ali, naquele dia foi dada a largada pela minha paixão por vampiros.

Alguns anos depois pude ler o livro, e lembro de ter me sentido um pouco triste pela situação dos personagens, mas mesmo assim, quis ler tudo da autora. Quis conhecer mais das Crônicas Vampirescas, então dos 12 aos 22 fui lendo os livros que encontrava. Minha meta, agora, aos 32 é ler todos os livros, sabe do que agora posso absorver tudo deles.

A leitura dos três livros é complementar sobre a mesma história. A ordem que indico da leitura é Entrevista com Vampiro, Vampiro Lestat e Entrevista com Vampiro a história de Claudia.

Se você se transformasse em uma criatura que é imortal, o que faria? A ideia de ser uma criatura da noite, que pode fazer o que quiser e ainda se alimentar de sangue humano sem piedade, como seria a sua vida? Em Entrevista com Vampiro, acompanhamos a trajetória de 3 vampiros, cada um lidando de uma forma diferente com a imortalidade e os presentes ou maldições que vem com ela.

Lestat é um vampiro experiente. Cruel, amargurado e também bastante perturbado pela vida que leva, não mede esforços para conseguir o que quer. De certo modo ele respeita as tradições do que é ser um vampiro, uma vez que existe uma comunidade e também existem algumas regras. Ao transformar Louis, provavelmente um jovem que sofre pela condição de ser um vampiro. Que se nega a matar sem um propósito, que fica reticente ao pensar em matar uma pessoa para se alimentar. Melancólico, não consegue levar uma vida tão tranquila ao lado de Lestat.

É assim que Claudia, uma garotinha que estava entre a vida e a morte entra em suas vidas e parece equilibrar não só a relação conturbada dos dois, como fornecer aos dois um elo que os transforma em família. Enquanto Lestat ensina tudo o que conhece de melhor da vida de vampiro, acessando o lado mais violento e cruel de Claudia ao longo dos anos, Louis tenta equilibrar as coisas, ensinando que uma vida não é completa sem artes e pequenos prazeres que não envolvam sangue, mortes ou planos famigerados para que a garota se alimente.

O interessante de ler os dois livros e a HQ, é que você consegue ter muito mais profundidade dos personagens. A HQ por sinal é belíssima, e mostra com profundidade quem é Cláudia. Se já é um tanto tortuoso se sentir na pele do melancólico Louis, imagine uma mulher crescer presa em um corpo de criança?

Anne Rice consegue então trazer a história sobre vampiros, mas abordar a humanidade, os desejos, os conflitos, as dores e até mesmo os rompante que temos como humanos. Criaturas da noite são sombrias, mas cheios de uma bagagem dificílima de lidar, em muitos momentos. Tragedia, paixões e vingança também tem seu devido destaque na obra. Agora, só me resta ler o restante da série, mais apaixonada ainda pela escrita da autora.

Ah, vale lembrar que talvez algumas pessoas achem que a escrita da Anne seja muito lenta, mas pessoalmente acho o ritmo dela perfeito para contar a história de personagens com tantas camadas.

XoXo

Esta resenha foi feita em parceria com a Editora Rocco
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário